ENSAIO INTRODUTÓRIO: DIREITO PENAL E PSICOLOGIA ANALÍTICA

  • MARCELO MOREIRA GONÇALVES Faqui (Faculdade Quirinópolis)

Resumo

A transcendental importância desta pesquisa está contida no fato de que ve-se de um lado o direito penal opressor como necessário à pacificação social e de outro os fatores psicológicos envoltos em todo o processo que envolve o crime, projetado no autor e na vítima. Deste modo, a presente pesquisa tem como fito investigar o impactos das leis, em especial as penais, no processo de individualização, que fora concebido pelo Doutor Carl Gustav Jung (criador da psicologia analítica) em toda a sua trajetória teórica. Para atingir tal finalidade partiremos da premissa essencial de se estabelecer os pressupostos teóricos (leia-se, conceitos centrais) das teorias principais de Jung, analisando os passos a serem dados no processo de individualização, investigando além disso o papel do direito penal na projeção da sombra humana, e no que toca também ao processo de invidualização com relação a esta, verificando o caminho que deveria o direito penal tomar para cumprir a sua razão de ser, também em termos psicológicos; destacando a vida e obras do autor, sua vida acadêmica e profissional, além de sua jornada intelectual. O gap constatado circunda essencialmente no ponto em que há escassas pesquisas sobre a importância da psicologia analítica no direito penal, sendo também constatado que não existe por parte das universidades nem mesmo uma explanação geral e superficial destes conceitos centrais. Para atingir tal finalidade, recorrer-se-à aos escritos de Carl Jung, na integra, bem como de alguns de seus discipulos e também de obras em geral que se fizerem necessárias a tecitura do presente artigo, valendo-se então do método de revisão bibliográfica. Tudo isso com o propósito de dar ao leitor uma ideia, ainda que breve por se tratar de um ensaio introdutório, da importância do estudo desta temática e da necessidade de se espandir tal estudo ao roteiro acadêmico, estabelecendo assim os conceitos e ideias pilares.

Publicado
2021-02-19
Seção
Artigos